UOL diz que Alexandre de Moraes enviou nota criticando colunistas do portal
  • Compartilhe:

Magistrado reagiu após a veiculação de uma reportagem sobre o ex-presidente Jair Bolsonaro. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, segundo o UOL, criticou uma reportagem do portal escrita pelas colunistas Carolina Brígido e Carla Araújo, sobre a estratégia de defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Em nota enviada, Moraes teria classificado o […]

Magistrado reagiu após a veiculação de uma reportagem sobre o ex-presidente Jair Bolsonaro.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, segundo o UOL, criticou uma reportagem do portal escrita pelas colunistas Carolina Brígido e Carla Araújo, sobre a estratégia de defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em nota enviada, Moraes teria classificado o conteúdo como ‘mentiroso’ e afirmou que foi inventado ‘inventou fatos e versões’. No entanto, o UOL diz que o ministro não especificou quais informações considerava equivocadas.

O portal reafirmou a veracidade da reportagem, mencionando que a apuração foi feita junto a ministros do TSE que preferiram manter o anonimato. A empresa de mídia também mencionou críticas de Moraes ao colunista Wálter Maierovictch, sustentando os seus colegas da corte que foram fontes da matéria se portaram de forma ‘fofoqueira’ e antiética.

Ainda em nota, Moraes teria frisado a importância da imprensa livre como um pilar da democracia, mas alertado que a reportagem do UOL se assemelhava a fake news. “Infelizmente, ao haver esse tipo de publicação em veículo de relevância nacional como o UOL, contata-se que as fake news e notícias fraudulentas não ficam restritas apenas às redes sociais. Não há democracia sem uma imprensa forte, consciente e responsável. Essa responsabilidade, portanto, deve ser exercida diuturnamente e incansavelmente por todos os profissionais da imprensa”, teria dito o magistrado.

Apesar das críticas, o UOL garantiu que mantém sua posição de que a possibilidade de reverter a condenação de Bolsonaro, tornando-o elegível para as eleições de 2026, é praticamente nula. Ministros do TSE, segundo o portal, confirmaram em condição de anonimato que a estratégia dos advogados de Bolsonaro inviabilizou essa reversão.

O advogado de Bolsonaro, Tarcísio Vieira, ao ser procurado, comentou que “não parece inteligente discutir estratégia de defesa com a imprensa”.

Fonte: Conexão Política