STF pagou R$39mil a segurança de Dias Tóffoli em viagem para final do Champions League
  • Compartilhe:

O Supremo Tribunal Federal (STF), segundo informações da Folha de S.Paulo, desembolsou R$ 39 mil em diárias internacionais para um segurança do ministro Dias Toffoli, que acompanhou o magistrado em uma viagem à Inglaterra, incluindo a final da Champions League. O Real Madrid conquistou o 15º título do torneio em 1º de junho, com Toffoli […]

O Supremo Tribunal Federal (STF), segundo informações da Folha de S.Paulo, desembolsou R$ 39 mil em diárias internacionais para um segurança do ministro Dias Toffoli, que acompanhou o magistrado em uma viagem à Inglaterra, incluindo a final da Champions League. O Real Madrid conquistou o 15º título do torneio em 1º de junho, com Toffoli participando remotamente da sessão do STF em 29 de maio.

O tribunal não confirmou a viagem de Toffoli nem suas agendas no exterior, afirmando que “nenhuma viagem reduz o ritmo de trabalho e os estudos do ministro, que continua trabalhando em seus votos, decisões e participando das sessões colegiadas”.

Anteriormente, o STF havia gastado R$ 99,6 mil para um segurança acompanhar Toffoli em eventos em Londres e Madri, como revelou a Folha. A mais recente viagem de Toffoli a Londres foi registrada em ordem bancária emitida em 27 de maio, conforme dados do Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira).

O ministro assistiu à vitória do Real Madrid contra o Borussia Dortmund em Wembley, acompanhado do empresário Alberto Leite (que aparece à esquerda na imagem), informação revelada pelo jornal O Globo e confirmada pela Folha. A assessoria de Leite afirmou que ele não quer se manifestar sobre a ida ao jogo e que não bancou as despesas de Toffoli na Inglaterra.

Leite, que participou de um evento em 2022 com o então presidente Jair Bolsonaro e Elon Musk, é dono da FS Security, patrocinadora do 1º Fórum Jurídico Brasil de Ideias realizado em Londres no fim de abril, evento que contou com a presença de Toffoli e outras autoridades do Judiciário.

O STF afirmou que a orientação do setor de segurança do órgão é “não informar razões e locais de deslocamento” e frisou que em nenhuma viagem o ministro recebeu passagens ou diárias do STF. A reportagem não obteve resposta sobre se Toffoli participou de algum evento ou teve agenda privada na Inglaterra.