Ministro Lewandowski aciona PF para investigar “fake news” sobre as chuvas no RS
  • Compartilhe:

Ministro da Justiça atende a pedido do chefe da Secom, Paulo Pimenta. Objetivo é apurar “narrativas desinformativas e criminosas” que “diminuam a confiança da população no Estado” O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, respondeu ao pedido da Secretaria de Comunicação Social (Secom), encaminhando à Polícia Federal (PF) uma solicitação para investigar a […]

Ministro da Justiça atende a pedido do chefe da Secom, Paulo Pimenta. Objetivo é apurar “narrativas desinformativas e criminosas” que “diminuam a confiança da população no Estado”

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, respondeu ao pedido da Secretaria de Comunicação Social (Secom), encaminhando à Polícia Federal (PF) uma solicitação para investigar a disseminação de conteúdos falsos relacionados às enchentes no Rio Grande do Sul. A Secom, representando o governo Lula, alertou para a propagação de informações incorretas que estariam prejudicando as operações de resgate e resposta às emergências na região. A pasta afirma que o objetivo é apurar “narrativas desinformativas e criminosas, destacando-se sua relevância e impacto no aprofundamento da crise social vivida pela população”.

O documento enviado à PF destaca uma lista de publicações, incluindo postagens em redes sociais feitas por políticos e influenciadores, como o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), o senador Cleitinho (Republicanos-MG) e o empresário Pablo Marçal. Essas postagens, segundo a Secom, incluem alegações falsas, como a demora do governo federal em enviar ajuda à região afetada pelas enchentes, além de acusações sobre obstrução da chegada de auxílio por parte do Exército e da Polícia Rodoviária Federal.

O ministro da Secom, Paulo Pimenta, tentou justificar seu novo pedido de censura:

“A propagação de falsidades pode diminuir a confiança da população nas capacidades de resposta do Estado, prejudicando os esforços de evacuação e resgate em momentos críticos. É fundamental que ações sejam tomadas para proteger a integridade e a eficácia das nossas instituições frente a tais crises”.

Além do pedido de investigação à PF, o Ministério da Justiça e Segurança Pública anunciou que, juntamente com a Advocacia-Geral da União, irá acionar a Justiça para responsabilizar os indivíduos por trás da disseminação desses conteúdos supostamente falsos.