Lauro de Freitas: Funcionários da prefeitura invadem condomínio particular e cometem crime ambiental
  • Compartilhe:

Ação arbitrária aconteceu nesta terça feira (07) na região do Jockey Clube e deixou moradores revoltados. Os moradores e administradores do Condomínio Reserva da Lagoa, localizado na região do antigo Jockey Clube, no centro de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador, foram surpreendidos com uma ação arbitrária de funcionários da Secretaria de Transporte e […]

Ação arbitrária aconteceu nesta terça feira (07) na região do Jockey Clube e deixou moradores revoltados.

Os moradores e administradores do Condomínio Reserva da Lagoa, localizado na região do antigo Jockey Clube, no centro de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador, foram surpreendidos com uma ação arbitrária de funcionários da Secretaria de Transporte e Ordem Pública de Lauro de Freitas – Setop, na manhã desta terça feira (07). Com o pretexto de escoar um alagamento em uma rua que fica atrás do complexo de prédios, os agentes do órgão direto da prefeitura, sob o comando do secretário Henrique Olinto Junior, mais conhecido como Capitão Olinto, pularam o muro e abriram um canal que fez com que uma quantidade enorme de dejetos, lixo e esgotos fossem despejados na lagoa que fica na área interna da propriedade privada.

Acontece que este mesmo canal havia sido bloqueado sob parecer e ordenamento do Inema Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, órgão atrelado a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, por entender que ali se trata de uma área de preservação ambiental. Imagens registradas no local pela equipe da Sem Censura TV mostram a vivacidade do ecossistema, com a presença de patos, gansos e peixes. Segundo moradores, o local é usado para lazer e até mesmo para pescaria e tem sido preservado com o apoio da administração condominial.

“Invadiram de forma criminosa, sem nenhuma autorização. É uma área particular, eles não podiam entrar aqui. E o pior, cometeram também um crime ambiental, pois com essa tubulação aberta todas a sujeira da rua vai ficar escoando e vai acabar matando a lagoa e os animais que aqui vivem”, afirmou um morador, que não quis se identificar por medo de represálias.

Funcionários da administração afirmaram que o secretário Capitão Olinto solicitou o acesso ao condomínio para “uma liberação de água da rua” o que não foi liberado, pois era necessário o aval do síndico.

“Enquanto eu tentava falar com o síndico ele simplesmente saiu daqui e já foi em direção à lagoa e no outro lado do muro já tinha uma equipe pronta que pularam pra cá e começaram a martelar a tubulação. Os moradores viram, desceram, questionaram a ação, mas eles não deram ouvidos. Aí a água imunda e contaminada começou a jorrar na lagoa”, informou uma funcionária da administração.

O vereador Gabriel Bandarra, o Tenóbio, também esteve no local e postou a denúncia em suas redes sociais. “A prefeitura comete crime, invadindo propriedade privada e descumpre a lei e uma ordem do Inema”, afirmou o edil.

Fonte: Sem Censura.TV