Desdobramento da Operação Faroeste mira filho de desembargadora do TJ-BA
  • Compartilhe:

A participação de advogados em esquema que envolve a negociação de decisões judiciais de magistrados do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) é alvo de uma operação deflagrada pela Polícia Federal (PF), em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), na manhã desta terça-feira (9). As ações são as fases III e IV da Operação […]

A participação de advogados em esquema que envolve a negociação de decisões judiciais de magistrados do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) é alvo de uma operação deflagrada pela Polícia Federal (PF), em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), na manhã desta terça-feira (9). As ações são as fases III e IV da Operação Patronos.

Um dos alvos desta etapa da operação é o ex-juiz eleitoral Rui Barata Filho. Ele é filho da desembargadora Lígia Cunha. Em setembro do ano passado, ele foi alvo de uma outra etapa da operação.

O ex-juiz eleitoral havia sido citado em uma gravação de uma conversa do advogado Júlio Cesar Cavalcanti, delator da Faroeste e o filho da desembargadora do TJ-BA Sandra Inês Rusciolelli, na 5ª fase da força-tarefa.

Segundo a PF, a investigação deriva dos fatos apurados da Operação Faroeste, quando se descortinou a existência de várias organizações criminosas atuando naquele Tribunal, integradas por magistrados, servidores, advogados e empresários.

Os agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão em Salvador/BA, Mata de São João/BA e Serrinha/BA, além de medidas cautelares diversas, com a participação de 28 policiais federais.

Em 14 de setembro do ano passado e 1º de julho deste ano, foram deflagradas as fases I e II da Operação Patronos, quando também foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos endereços dos investigados, além da determinação de medidas cautelares de constrição patrimonial.

Fonte: BNews