Jornal 2 Pontos Edição nº64
  • Compartilhe:

Exemplo de humanidade É de cortar o coração ver as dificuldades as quais os nossos irmãos gaúchos estão passando, com as enchentes que estão devastando boa parte do Estado do Rio Grande do Sul. Diante de tanto sofrimento, a comunidade gaúcha luiseduardense deu um verdadeiro exemplo de humanidade e solidariedade. Parabéns ao CTG e a […]

Exemplo de humanidade
É de cortar o coração ver as dificuldades as quais os nossos irmãos gaúchos estão passando, com as enchentes que estão devastando boa parte do Estado do Rio Grande do Sul. Diante de tanto sofrimento, a comunidade gaúcha luiseduardense deu um verdadeiro exemplo de humanidade e solidariedade. Parabéns ao CTG e a todos os envolvidos na coleta, armazenamento, separação e transporte das inúmeras doações recebidas.

Exemplo a não ser seguido
O Governo Federal tem dado um verdadeiro show de desorganização e falta de empatia com a tragédia vivida no sul do país. A rede Globo – porta-voz oficial governo, parece que também não está entendendo nada do que realmente está acontecendo lá. Assim como os midiáticos sobrevôos do presidente, a emissora está preferindo se alienar dos fatos fazendo poesias ao pôr do sol. Um duplo vexame!

Debi e Lóide
Um vídeo que está circulando nas redes sociais mostra o quão desinformados estão o presidente e seu poste-ministro da Fazenda. Eles chegaram a cidade de Canoas e não tinham a menor ideia do que estava acontecendo por lá. Eles ficaram abismados ao serem informados que existem 150 mil pessoas evacuadas, 100 mil vivendo em abrigos e que quase 70 mil casas foram atingidas. Ao contrário dos personagens hilários do cinema, essa dupla só nos causa indignação.

Irecê tem pesquisa fake
A política na região de Irecê pega fogo em ano eleitoral. Recentemente um fato curioso aqueceu ainda mais a chapa ireceense: foram registradas, e autorizadas para divulgação, duas pesquisas de intenção de voto.
Na primeira pesquisa quem apareceu com 50,3% das intenções de votos foi o vereador, e ex-secretário de obras, Figueredo Amorim, seguido por Murilo com 25,4%. Até aí nenhuma surpresa. Mas, no mesmo dia à noite, foi divulgada uma segunda pesquisa; essa colocava o candidato Murilo Asa Sul, escolhido do prefeito Elmo Vaz, com 51,2% das intenções de voto e Figueredo com 23,7%. Mas um detalhe chamou a atenção: essa empresa que fez a 2ª pesquisa tem relação estreita com o prefeito e vem publicando matérias positivas sobre a prefeitura há anos… Certo é que uma das duas pesquisas publicadas é fake.

Luizinho ou ruinzinho?
Mas quem ‘azedou’ de forma unanime nessa disputa foi o terceiro colocado nas pesquisas, o ex-prefeito Luizinho Sobral. Em ambas as pesquisas divulgadas ele aparece boiando entre 11% e 13% das intenções de voto.
O que ele tem de alto mesmo é só o número da sua rejeição: quando perguntado ‘‘em qual candidato você não votaria de jeito nenhum’’, ele bateu 48%. Hoje ele é visto como o ‘azarão rouba-votos’.

Desempregado e sem voto
Tem uma pergunta que está sendo feita em todos os cantos da cidade: porque o ex-prefeito Oziel Oliveira pediu demissão de seu emprego em Brasília? Unânime é a certeza de que ele não tem chances frente o atual prefeito. Motivo? O ‘menino’ mostrou que quando se tem vontade política, as coisas acontecem e as realizações aparecem. A realidade do ex-prefeito hoje é: sem emprego e sem voto. Vai fazer o que?

Mutirão do terror
A falta de compaixão e empatia com as pessoas pode chegar a limites nunca imaginados, ainda mais quando uma ‘boa ação’ está escondida atrás de um único interesse: o político. Esse foi o caso de um ‘mutirão de saúde’ divulgado e realizado pelo ‘casal mentirinha’. A falta de responsabilidade com a saúde das pessoas que se inscreveram nesse ‘mutirão do mal’ levaram mulheres a serem internadas no Hospital Gileno, com graves quadros de infecção, após serem submetidas a cirurgias de retirada do útero.
Fica aqui o nosso repúdio e nosso alerta: não participem de mutirões que não sejam feitos por entidades conhecidas, Estado ou Município.

Cúmplice ou sem noção?
Após a divulgação deste lamentável episódio de falta de respeito com a saúde da população mais carente, um ‘médico’ que se sentiu ‘ofendido’ com a divulgação da matéria agrediu um servidor público e o ameaçou. ‘‘Pare de compartilhar a matéria, porque sei o seu endereço, onde você mora’’. A agressão e a ameaça gerou um Boletim de Ocorrência contra o médico de iniciais R.A.M. que deverá se apresentar na delegacia para justificar a sua ameaça.