“Brasil tem hoje um operador totalitário na Suprema Corte: Alexandre de Moraes”
  • Compartilhe:

Fala de deputada María Elvira Salazar repercutiu fortemente durante audiência sobre o Brasil na Câmara de Representantes dos EUA. A Câmara de Representantes dos EUA realizou hoje uma audiência sobre as violações à liberdade de expressão no Brasil. Em sessão presidida pelo deputado republicano Chris Smith, foram ouvidos o CEO da plataforma Rumble, Chris Pavlovski, […]

Fala de deputada María Elvira Salazar repercutiu fortemente durante audiência sobre o Brasil na Câmara de Representantes dos EUA.

A Câmara de Representantes dos EUA realizou hoje uma audiência sobre as violações à liberdade de expressão no Brasil. Em sessão presidida pelo deputado republicano Chris Smith, foram ouvidos o CEO da plataforma Rumble, Chris Pavlovski, o jornalista brasileiro Paulo Figueiredo, o jornalista americano Michael Shellenberger e o professor de estudos brasileiros Fábio de Sá e Silva. Os deputados brasileiros Bia Kicis (PL-DF) e Filipe Barros (PL-PR), o senador Eduardo Girão (PL-CE), a juíza Ludmila Lins Grilo e o jornalista Allan dos Santos estiveram presentes à sessão. Ludmila e Allan, exilados nos EUA, entregaram os seus depoimentos por escrito.

Chris Smith iniciou a sessão destacando a gravidade dos ataques à liberdade de expressão no Brasil. “Alexandre de Moraes repetidamente traiu a Constituição e o povo brasileiro”, disse o parlamentar americano. Ele também criticou fortemente o atual ocupante da Presidência. “Lula é um socialista que não está respeitando o estado de direito e fazendo o que a China já fez. A realidade terrível é que a democracia no Brasil está morrendo.”

O fundador do Rumble, Chris Pavlovski, afirmou que as ameaças à liberdade de expressão se tornaram mais graves nos últimos anos em diversos países. “A censura atual é perversa, porque os governos tentam controlar o que as pessoas podem dizer ou ouvir. Isso não é um medo teórico. Está acontecendo agora.” Pavlovsli relatou que o Rumble recebeu, em 2022, ordens do governo brasileiro para bloquear usuários que não haviam violado os termos e diretrizes da plataforma. “Foi então que tomamos a difícil decisão de sair do Brasil. Não é função dos governos limitar o acesso à informação. Isso vai acabar atingindo a todos. Ontem foi o Rumble, hoje é o X, amanhã será o The New York Times. Todo regime totalitário começou por controlar o que as pessoas podem dizer e ouvir”.

O jornalista americano Michael Shellenberger, um dos autores da reportagem investigativa Twitter Files Brazil, afirmou com todas as letras que é o Brasil não é mais uma democracia liberal. “Os brasileiros têm medo de falar o que pensam. A Suprema Corte e o TSE, sob a influência pesada de um juiz chamado Alexandre de Moraes, tentam influenciar nas eleições e censurar políticos e jornalísticas nas redes sociais. Ele não quer apenas censurar, mas banir permanentemente essas pessoas das redes sociais. A situação do Brasil é a pior que eu já vi em qualquer democracia ocidental. Moraes agiu de forma unilateral para inventar leis e interferir nas eleições e no próprio Congresso. Moraes exige ilegalmente a remoção de conteúdos e perfis de jornalistas e políticos independentes no Brasil”.

Para o jornalista brasileiro Paulo Figueiredo — que teve todas as suas redes sociais suspensas por ordem de Moraes —, a audiência desta terça foi um importante passo para revelar ao mundo o que está de fato acontecendo no Brasil:

“Nós conseguimos tirar os acontecimentos do Brasil das sombras e agora passamos para a luz. E é mais difícil ser ditador quando a luz está em cima de você. Quando o ambiente está infestado de barata, quando você acende a luz, as baratas se escondem todas. E o que a gente está fazendo é acender a luz do Brasil. Atingimos alguns objetivos aqui. O primeiro foi que o mundo inteiro começasse a saber o que está acontecendo no Brasil. O segundo ponto que nós conseguimos avançar aqui na mudança da política externa dos Estados Unidos em relação ao Brasil. E o terceiro ponto, que o representante Chris Smith corroborou aqui, anunciou hoje, é que o Brasil terá agora nos próximos dias, ele vai apresentar uma legislação específica sobre o Brasil que impõe sanções duras ao Brasil, às Forças Armadas Brasileiras e a oficiais do governo brasileiros, incluindo agentes e ministros do Supremo Tribunal Federal, que estejam em flagrante violação de direitos humanos do brasileiro, como a liberdade de expressão, que são supraconstitucionais, que estão acima da Constituição, são direitos dados por Deus”.

Um dos pontos altos da audiência foi a fala da deputada republicana María Elvira Salazar, que ergueu uma foto de Alexandre de Moraes e disse:

“Cheguei à conclusão de que o Brasil não apenas tem um condenado por corrupção como presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, mas agora tem um operador totalitário como chefe de Justiça da Suprema Corte, chamado Alexandre de Moraes”.

Será que Moraes também vai botá-la no inquérito?

Fonte: site Brasil Sem Medo.